Rodrigo Lombardi defende Benedito Ruy Barbosa após declaração sobre gays: “Vamos ter um pouco mais de humor”


© AgNews


Rodrigo Lombardi defendeu a declaração polêmica de Benedito Ruy Barbosa acerca dos homossexuais.





Veja também:

Globo cogitou se desculpar por declaração homofóbica de Benedito Ruy Barbosa, diz jornal

O ator, que estará no elenco de “Velho Chico” – próxima trama supervisionada pelo autor, que estreia na segunda-feira (14), na Globo -, disse que o fato de o novelista não querer escrever histórias sobre gays não pode ser considerado uma ofensa.

“Não acho que seja nenhuma afronta, é só uma opinião. As pessoas têm que aprender a aceitar um pouco mais a opinião alheia”, afirmou em entrevista ao jornal “Folha de S. Paulo”.



O artista ressaltou ainda que o escritor, de 84 anos de idade, viveu em outros tempos e recebeu outro tipo de educação.



“Benedito é um homem do campo, de raiz. Então não esperem tamanha polidez. Ele é culto, letrado, maravilhoso. Mas ele exprime a opinião do jeito que ele exprime”, argumentou.

O intérprete do capitão Ernesto Rosa no folhetim ainda pediu “um pouquinho mais de humor” aos críticos. “O Brasil está precisando disso”, concluiu.

Ruy Barbosa causou polêmica na festa de lançamento de “Velho Chico” ao afirmar que não gosta de abordar a homossexualidade em suas obras.

“Odeio história de bicha. Pode existir, pode aceitar, mas não pode transformar isso em aula para as crianças. Tenho dez netos, quatro bisnetos e tenho um p*** orgulho porque são machos para ca****”, disparou.

E avaliou: “Não sou contra, não acho errado. O que acho é que quando eu tenho na mão 80 milhões assistindo minha novela, tenho que ter responsabilidade com as pessoas que estão me assistindo. Tenho que saber que tem muito pai que não quer que o filho veja [cenas com homossexuais], porque eles não sabem explicar, não sabem como colocar. Muita gente reclama disso para mim. O que não é justo é você transformar: só é normal o cara que é bicha, o que não é bicha não é normal. A mulher que é sapatona é perfeita, a que não é sapatona não é legal. É assim que estamos vivendo”.