Zezé Motta comenta as dificuldades de ser uma artista negra


© Divulgação/ TV Cultura


Considerada umas das maiores artistas do país, Maria José Motta de Oliveira se tornou uma grande expoente da cultura afro-brasileira na mídia. Aos 76 anos, ela relembra momentos marcantes de seus mais de 54 anos de trajetória.





VOCÊ VIU? Harry e Meghan Markle abrem o jogo sobre a família real

Jimmy Fallon anuncia imóvel por R$ 85 mi em Manhattan (NY)

Claudia Leitte apresenta teaser de minissérie “We Can Do It!”

Mateus Carrieri publica foto com nova namorada

“Ser artista é difícil para todo mundo, mas para o negro é ainda mais.”

Durante o bate-papo no Trace Trends, ela diz acreditar que a pandemia pode expandir de maneira positiva a percepção de muitas pessoas em relação a temas como desigualdade, racismo, homofobia e discriminação. “Estamos vivendo um momento tão delicado no mundo que acho que vai mexer com a postura de muita gente porque, de repente, estamos todos no mesmo barco”, afirma, esperançosa.

Ao comentar sobre o período em que esteve em evidência por interpretar Xica da Silva no filme lançado em 1976, ela opina sobre o que sua personagem faria se estivesse vivenciando o século XXI.



“Xica era tão ousada que acho que ela entraria para a política de alguma maneira para mudar tudo. Ela faria parte do movimento negro contra discriminação racial, teria um discurso contra desigualdade e acho que, sim, ousaria entrar para a política, coisa que não quero pra mim (risos).”



A entrevista completa irá ao ar no Trace Trends desta terça-feira (9), às 22h30, pela RedeTV!.